Jovem piloto de Mônaco, que estreou na Fórmula 1 pela Sauber em 2018, trocará de escuderia com o experiente finlandês

Por
Estadão Conteúdo

access_time

11 set 2018, 11h09 – Publicado em 11 set 2018, 10h52

A Ferrari anunciou nesta terça-feira uma surpreendente mudança em seu quadro de pilotos. O experiente finlandês Kimi Raikkonen vai deixar a equipe no fim do ano para defender a Sauber a partir de 2019. Para o seu lugar, a escuderia italiana terá o monegasco Charles Leclerc, que estreou na Fórmula 1 neste ano pela própria Sauber.

Raikkonen, que completará 39 anos no próximo mês, assinou vínculo por duas temporadas com a Sauber, equipe com a qual iniciou sua trajetória na F1, em 2001. Campeão mundial em 2007, o finlandês acumula 16 temporadas na categoria.

Toda essa experiência será trocada pela juventude e talento de Leclerc, de apenas 20 anos. O atleta de Mônaco integra a academia da Ferrari, que forma novos pilotos, defende em seu primeiro campeonato a Sauber, equipe que se tornou uma espécie de time satélite dos italianos nestes últimos anos.

“Foi um grande prazer poder apoiar Charles Leclerc em seu ano de estreante na Fórmula 1. Desde a sua chegada, ele nos deu grande motivação. Ele vem melhorando constantemente e vai continuar trabalhando duro até o fim do campeonato para alcançar sua melhor colocação possível junto com a gente. Estamos cientes do talento de Charles e temos certeza de que ele terá um futuro brilhante”, declarou Frederic Vasseur, chefe de equipe da Sauber.

O piloto de Mônaco chegou à Fórmula 1 neste ano no embalo de conquistas recentes nas categorias de acesso. Ele foi campeão da GP3 em 2016 e também levantou o título na Fórmula 2, logo em sua temporada de estreia. Seu desenvolvimento na academia da Ferrari e os resultados o credenciaram para uma das vagas da Sauber neste ano.

Em sua primeira temporada na F1, Leclerc tem como melhor resultado o sexto lugar no GP do Azerbaijão, em Baku. No Mundial de Pilotos, ocupa o 15º posto com 13 pontos, mais do que o dobro dos seis pontos obtidos pelo sueco Marcus Ericsson, seu companheiro de Sauber.

Raikkonen, por sua vez, completará a troca entre Sauber e Ferrari. “Contratar Kimi Raikkonen como piloto representa um importante pilar do nosso projeto e nos aproxima da nossa meta de fazer grande progresso como time no futuro”, afirmou Vasseur. “O inquestionável talento de Kimi e sua imensa experiência na F1 não apenas vão contribuir com o desenvolvimento do nosso carro como também vai acelerar nosso crescimento da equipe como um todo.”

O finlandês, que seguirá na Ferrari até o fim do campeonato, soma atualmente 20 vitórias e 100 pódios na carreira. Nove destas vitórias foram conquistadas com o carro italiano que pilota desde 2014. Esta é sua segunda passagem pela equipe. A primeira aconteceu entre 2007 e 2009, quando chegou a dividir o time com o brasileiro Felipe Massa. Depois disso, deixou a categoria para competir no Mundial de Rally por dois anos. Seu retorno à F1 aconteceu em 2012, pela Lotus.

“Durante estes anos, a contribuição de Kimi para o time, tanto como piloto quanto como ser humano, foi fundamental. Ele exerceu papel decisivo no crescimento do time e foi, ao mesmo tempo, sempre um grande atleta. Por ser campeão pela Ferrari, ele sempre será parte da história e da família Ferrari. Agradecemos a Kimi por tudo e desejamos o melhor para ele e sua família”, afirmou o time italiano, em comunicado.

Fonte: Rede Canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui