O presidente Marcelo Medeiros deu entrevista nesta sexta-feira (Foto: Ricardo Duarte/Inter)

O Internacional se manifestou oficialmente na tarde desta sexta-feira sobre a liminar que foi cassada impedindo o atacante Paolo Guerrero de jogar futebol. A entrevista coletiva contou com as presenças do presidente Marcelo Medeiros, o vice de futebol Roberto Melo e o executivo Rodrigo Caetano que adotaram um discurso favorável a contratação do peruano. Segundo o mandatário colorado, ainda não estão esgotadas as possibilidades do centroavante vir a jogar antes de abril de 2019.

“Isso fazia parte do diagnóstico do negócio. Quando nós fechamos esse negócio tomamos todas as precauções garantindo direitos e obrigações a todas as partes. Esse assunto não está encerrado. A suspensão da liminar não encerra o processo. O Guerrero, através dos seus profissionais, aguarda ainda o julgamento da ação e poderá tomar outras providências”, declarou Medeiros.

Com relação aos detalhes do contrato, o vice de futebol, Roberto Melo, revelou que Guerrero não receberá salários, mas permanecerá vinculado ao Inter. Apesar de estar com 34 anos, Melo acredita que o centroavante tem condições ainda de jogar em alto nível.

“Nós temos hoje como principal destaque do líder do Campeonato Brasileiro um jogador de 37 anos (Nenê). Quando nós começamos a tratar da contratação do Guerrero ainda se tinha a dúvida se a liberação dele seria apenas para a Copa do Mundo. Só depois se soube que ele poderia seguir jogando pelo Flamengo. Fizemos o negócio por ter a confiança no jogador. Perder o Guerrero agora é ruim, mas talvez no ano que vem, no meio de uma Libertadores já com ele encaixado no time, poderia ser até pior”, lembrou o dirigente.

O presidente colorado, Marcelo Medeiros, se mostrou confiante na inocência de Guerrero no caso de doping.

“O Internacional acredita na inocência do atleta Paolo Guerrero e daremos a ele, atleta, daremos todo o suporte para voltar a jogar futebol o quanto antes”, destacou.

Por último, a direção do Inter negou que tenha antecipado luvas para o peruano na negociação. Roberto Melo reforçou novamente que o clube não contou com ajuda de investidores para trazer o centroavante.

“Noticiaram que o Guerrero já havia recebido diversos valores pela vinda ao Inter. Isso não é verdade. Ele não recebeu um real sequer, de quem quer que seja, para assinar com o Inter. Quero dizer ao nosso torcedor que o contrato do Guerrero foi feito dentro das possibilidades do Inter. Ele foi contratado com responsabilidade. Foi previsto contratualmente. No momento que ele tivesse que cumprir, que fosse cassada a liminar, a relação contratual permanece, mas o pagamento fica suspenso por não cumprir serviço. Temo a opção de prorrogar pelo período que ele ficar suspenso. O Inter não teve nenhum parceiro na contratação do Paolo. Ninguém fez investimento para a chegada do Guerrero”, explicou

No período da punição, Paolo Guerrero não poderá treinar nas dependências do clube. O centroavante foi para o Peru, onde terá uma reunião com seus advogados. Caso não consiga uma redução da pena, o peruano só poderá vestir a camisa do Inter no final do mês de abril do próximo ano.



Mais vídeos em
videos.gazetaesportiva.com



Fonte: Maestro Junior Sousa – Rede canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui