Com o Fluminense de olho, a equipe do San Lorenzo derrotou o Nacional, do Uruguai, pelo placar de 3 a 1 nesta quarta-feira. Atuando no Estádio Pedro Bidegain, as equipes fizeram o confronto de ida das oitavas de final da Copa Sul-Americana. Os gols foram marcados por Errasmupe (contra) e Blandi (duas vezes), para os donos da casa, além de Berseggio, em favor dos visitantes.

Quem passar entre argentinos e uruguaios terá pela frente, na próxima fase da competição internacional, o vencedor da chave composta por Fluminense e Deportivo Cuenca. O jogo de ida entre cariocas e equatorianos será somente no dia 19 de setembro.

No dia 26 do próximo mês, uma quarta-feira, o Nacional tentará reverter o cenário adverso para garantir a classificação na Sul-Americana em seus domínios, no Parque Central. O San Lorenzo pode perder por até um gol de diferença que ainda carimba a vaga.

San Lorenzo venceu o Nacional por 3 a 1 nesta quarta-feira (Foto: JUAN MABROMATA / AFP)

O jogo – Até aproximadamente a marca de 20 minutos da etapa inicial de jogo, o confronto era marcado pelo equilíbrio. Enquanto os mandantes assustaram com Blandi e Botta, o Nacional respondeu com finalizações de Fernández e Viudez.

Entretanto, quem inaugurou o placar foi mesmo o San Lorenzo. Após chegada na área, Rodrigo Errasmupe acabou colocando a bola contra as próprias redes e anotou contra: 1 a 0 para a equipe da casa.

Aos 25 minutos, o “time do Papa” quase fez o segundo. Reniero recebeu passe em profundidade de Botta e encobriu o goleiro. A bola ia lentamente para o gol, mas Espino deu o chutão e evitou o tento argentino. Sete minutos depois, entretanto, o Nacional não conseguiu impedir o gol: Blandi bateu com o pé direito em direção ao gol e aumentou a diferença no marcador.

Mesmo com o 2 a 0 no placar, o San Lorenzo não conseguia “matar” a partida e o Nacional permanecia na luta, deixando o confronto parelho. Aos 23 minutos do segundo tempo, Viudez recebeu na ponta e cruzou para a área, em direção a Oliva.

Entretanto, o atacante foi derrubado dentro da grande área e o árbitro brasileiro Raphael Claus não hesitou em marcar a penalidade máxima. Na cobrança, Berseggio não desperdiçou e diminuiu: 2 a 1.

Já perto do final do confronto, foi a vez dos mandantes terem um pênalti assinalado ao seu favor. Gudiño fez a finta dentro da grande área e Ocampo o derrubou. Na batida, Blandi não perdoou, fez o seu segundo tento no embate e deu números finais à partida.



Fonte: Maestro Junior Sousa – Rede canal

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui